Rua Dr Artur Leite de Barros Jr, 217 - Mandaqui - São Paulo - SP

(11) 3474 7427 (21) 4063 7427

Clique aqui para abrir o chat

Rua Dr Artur Leite de Barros Jr, 217 - Mandaqui - São Paulo - SP - 02408-110

Blog

O que esperar do mercado de seguros em 2020?

O mercado de seguros brasileiro se prepara para entrar em seu melhor momento a partir de 2020. Diversas tendências globais, que também vão chegar ao Brasil, combinadas a um contexto econômico mais otimista vão contribuir para que o país se destaque internacionalmente nesse setor.

Palavras-chave como inovação, relevância social, investimentos financeiros internacionais e mais viagens ao exterior são os destaques que podem ser esperados nos próximos meses.

Entenda, a seguir, quais são as principais tendências para o próximo ano e como elas vão impactar o mercado brasileiro. Acompanhe!

Perspectiva de crescimento do mercado de seguros em 2020

Segundo a Revista Apólice, entre os anos de 2018 e 2019, o Brasil ocupa o 14º lugar no ranking dos maiores mercados de seguros do mundo. Entretanto, em 2020 subirá para a 8º posição.

O cenário positivo é influenciado por aspectos econômicos mais favoráveis, além do aumento do número médio de viagens ao exterior, tanto turísticas quanto relacionadas aos negócios.

O turismo internacional vai gerar novas necessidades de seguros para viagens e, por isso, o número de pessoas e empresas que enxergam a necessidade de contratar uma corretora vai crescer exponencialmente.

Outro ponto relevante são os investimentos de origem estrangeira no país, que contribuem para o crescimento desse mercado.

Período de mudanças e inovações

A inovação será um fator presente em nível global. Novos tipos de seguros serão implementadas para que as relações comerciais entre continentes se tornem mais seguras e sofisticadas em comparação aos existentes nas décadas anteriores.

Conforme a expectativa de vida cresce e as perspectivas financeiras melhoram, o consumo médio também tende a aumentar e, assim, a necessidade de proteger os bens adquiridos se torna uma preocupação mais comum.

Os aspectos da vida material que ainda não são prioritários para as seguradoras e a necessidade de segurança contra novos tipos de riscos que estão relacionados à transformação digital, vão ser vistos como indispensáveis nos próximos anos.

Mais agilidade e competitividade

As seguradoras vão precisar reestruturar os seus processos para torná-los muito mais ágeis e inovadores, pois novos modelos de serviços financeiros que têm essas características vão se tornar cada vez mais comuns e, portanto, a concorrência será mais intensa.

A implementação de ferramentas web para a gestão, por exemplo, contribuirá muito para aumentar a rapidez dos processos. Os sistemas multicálculos, ERP e os aplicativos são bons exemplos.

Outra característica que deverá impactar esse negócio, não apenas nos próximos dois anos, são os valores que regem o mercado de seguros.

Com as exigências ambientais e sociais para que as empresas – e a sociedade em geral – assumam uma postura mais responsável, as seguradoras vão passar a desempenhar um papel de maior relevância, passando a atuar de forma muito mais proativa na gestão de riscos.

Ademais, apesar das instabilidades de diferentes naturezas que estão sendo enfrentadas neste momento, a preocupação com todas as transformações de ordem social, econômica, política e socioambiental deve ser fortemente considerada. 

A cultura organizacional que tem como foco a experiência do cliente e o atendimento das suas expectativas e exigências elevadas, bem como a geração de valor que extrapola as formas de serviço convencionais vai separar as seguradoras em dois grupos no curto prazo durante e depois o ano de 2020.

Gostou? Continue acompanhando nossos artigos!

 


Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários